Arquivo do blog

domingo, 31 de maio de 2015

De Sol a Sol ...




Passeando pelos pensamentos e pela diversidade dos roteiros, fui desembocar numa das mais árduas e exigentes disciplinas, considerada uma das maiores provas de fundo, uma maratona do Desenvolvimento Pessoal e Humano … O Desapego .

Apesar de algumas definições contraditórias, e algumas delas redutoras e muito associadas à esfera das relações amorosas, a minha interpretação do Desapego vai para além disso, pois penso que este conceito penetra no universo comportamental humano abrangendo múltiplas áreas de conduta , postura , entendimento e de atitude , só observada em fases de amadurecimento e de auto conhecimento de plano superior.

O Desapego … considero eu, ser aquele pedaço de solo interior que exige trabalho permanente, trabalho de sol a sol, persistente, e que se vai cultivando e semeando ao longo do tempo, e cujo crescimento é sensível a variações de temperatura , às intempéries e precipitações, sendo a colheita dos seus frutos, lenta e demorada, estando somente amadurecidos a partir de um certo estágio da nossa evolução .

O Desapego … na sua plenitude, é aquele Acordo de Paz que se faz dentro de nós mesmos, é aquele Encontro com a Planície serena da nossa Existência, e onde um Rio de Apaziguamento e de Liberdade, se desenha no interior do nosso espírito …

Espero um dia poder caminhar tranquilamente por essa Planície, e banhar-me descontraidamente nas águas desse Rio …

Luis Sousa


“ Desapego é uma arte...que exige da gente , paciência, pulso firme, razão e muita vontade de se continuar sem pesos. Desapego é coisa de gente grande , que se ama de verdade e que aprende a compreender pelo que , e por quem , vale a pena perder noite de sono, chorar, sofrer, sentir dor e renunciar-se a si mesmo. Desapego é o encontro de duas pessoas " você e você" , e ambas decidem viver um relacionamento sério , sem melancolias, sem tristezas, sem decepções , sem ilusões...... Desapego é uma realidade de valores que faz florescer algo novo dentro da gente.... “

Cecilia Sfalsin



11 comentários:

Lilazdavioleta disse...

Bom dia Luís ,
vim com intenção de deixar " umas palavras " sobre o que escreveu no poste anterior , e deparo - me com um assunto que me é muito caro .
Gosto , muitíssimo , da forma como o aborda .Diz coisas com as quais concordo plenamente .
Julgo não me enganar dizendo que o ter continua a ser mais importante que o ser , daí a dificuldade de atingirmos o estádio necessário para tal prática .
Esquecemos que chegamos sem nada ,de material , e partimos da mesma forma .
Mas pensarmos e debruçarmo-nos sobre este assunto é já um grande passo .

Um abraço , e bom domingo ,
Maria

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Dois belos textos que eu estou completamente de acordo, mas que hoje em dia é extremamente dificil de pôr em prática devido a esta sociedade de consumo onde estamos inseridos.
Um bom Domingo amigo.

Andreia Morais disse...

Gostei bastante!

r: Conquistar objetivos é mesmo maravilhoso. Muito, muito obrigada *.*

São disse...

Desapego é algo exigente , que não sei se conseguiremos por completo...

Bom resto de domingo

Telma disse...

Adorei, boa semana :)

http://trapeziovermelho.blogspot.pt

Gracita disse...

Oi Luís
A prática do desapego exige de nós uma grande disciplina mental e emocional para conseguir conviver de forma harmoniosa com os sentimentos pois para mim esta é uma das nuances mais difíceis de vencer; Criamos expectativas, lançamo-nos integralmente e quando se faz necessário o desapego aí meu amigo vem a dor e a decepção. A vertente material é mais fácil. Eu ando lutando muito para conseguir caminhar pela planície serena que tanto bem nos faz
Um texto magnífico que me passou uma soberba reflexão
Uma abençoada semana
Beijos

Ana Freire disse...

Que nos desapeguemos das coisas exteriores, que apenas nos reduzem, e mostram a nossa insignificância, e que nos apeguemos a sentimentos, valores, e convicções, que são bem mais engrandecedores.
Desapego... algo que a sociedade actual não promove, de todo... e talvez por isso, a maior parte das pessoas vivam hoje, em dia, tão apegadas ao seu mundinho, e egoísmo... sem um pingo de solidariedade, ou humanidade, para com o próximo....
Um texto bem pertinente, Luís!
Adoro o ambiente, e envolvência do seu blogue! Muito bem conseguido! Parabéns!
Abraço!
Ana

CÉU disse...

Um texto escrito, com muito apego, sem dúvida.
Desapego é um conceito muito lato e diversificado. Das coisas ruis, maléficas, devemo-nos desapegar, das outros, o contrário.

Dias felizes e reflexivos.
Abraço.

Vera Lúcia disse...


Olá Luis,

Em primeiro lugar, obrigada por sua atenção. Eu estava com hóspedes, o que absorveu o meu tempo. Foi por isso que me dediquei apenas à retribuição de visitas. Meus hóspedes se despediram hoje e agora vou dar uma descansadinha-rsrs.

Seu texto é ótimo, bem escrito, e nos alerta para algo difícil, que é o desapego. Também o entendimento da Cecilia Sfalsin é muito sábio. Aliás, a Cecília deu uma sumida dos blogs. Costumávamos interagir pela blogosfera.

Aprender a desapegar-se é muito bom para a nossa serenidade e traz leveza ao nosso ser. Qualquer tipo de apego é oneroso e traz sofrimentos e desgastes. Penso que é mais fácil desapegar-se das coisas materiais do que das sentimentais. O 'deixar ir' é um processo de abnegação e renúncia. Com certeza, a maturidade nos faz lidar bem com perdas em geral e o processo do desapego chega a ser menos doloroso. Certo é que somos imperfeitos, mas com o tempo vamos aprendendo que a viagem, com menos bagagem, é bem mais confortável e nos leva mais longe. Afinal, há muito a que desapegar-se, pois muitos são apegados até à dor, à saudade que fere, às mágoas, ao rancor, ódio, etc. Estou ainda longe de atingir este estágio de paz e leveza interior, mas um dia eu chego lá-rs.

Abraço.

Zilani Célia disse...

OI LUIS!
TEU TEXTO É PRIMOROSO NA MEDIDA DE SUA IMPORTÂNCIA.
DESAPEGAR É UM ATO PARA O QUAL NÃO HÁ REGRAS, OU SE CONSEGUE OU NÃO, ACHO QUE É BEM MAIS PROFUNDO DO QUE APENAS QUERER-SE FAZÊ-LO.
QUANTO AOS DESAPEGOS MATERIAIS, A PRÓPRIA VIDA VAI NOS PROPORCIONANDO OS MEIOS PARA QUE O CONSIGAMOS, BASTA NOS OBSERVARMOS, POIS TODOS CHEGAMOS AO MOMENTO EM QUE AQUELAS COISAS PELAS QUAIS LUTAMOS E NOS DESGASTAMOS PARA TÊ-LAS, VÃO PERDENDO A IMPORTÂNCIA E CHEGAMOS A CONCLUSÃO QUE VIVEMOS MUITO BEM SEM ELAS. QUANDO FALAMOS DE SENTIMENTOS, JÁ É BEM MAIS DIFÍCIL E ACHO QUE É DE CADA UM CONSEGUIR VISLUMBRAR O MOMENTO CERTO DE DIZER AQUELE BASTA QUE LIBERTA A ALMA E NOS CONDUZ A PAZ INTERIOR QUE TANTO QUERÍAMOS E QUE ESTAVA AO ALCANCE DE NOSSAS MÃOS.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

© Piedade Araújo Sol disse...

pertinente e reflexivo.
não lido lá muito bem com o desapego, que você definiu na perfeição.
uma boa semana.
beijos
:)