Arquivo do blog

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Os nós da minha Dor ...




Já me recolhi nos meandros de mim mesmo
Já tentei desatar os nós da minha dor
Já chorei no silêncio dos dias e das noites
Já percorri as várias estradas da nossa história

Mas hoje meu Pai
Abracei-te
Beijei-te
E aconcheguei-te nos meus braços
Senti o teu medo
E Abracei-te mais uma vez
Mais duas
Mais três vezes
As vezes todas que não contei

Peço aos Deuses
Que quando partires
Partas em Paz
Acompanhado pela Luz da Bondade
Num Voo súbito e rápido
Sem dor
Sem sofrimento

Obrigado meu Pai
Pela Tua presença na minha Vida
Obrigado pela Tua Bondade
Obrigado por Tudo meu Pai

Hoje meu Pai
Dentro de mim
De certa forma eu me despedi de Ti


AMO-TE MEU PAI ...




Luis Sousa



20 comentários:

Gracita disse...

Teu poema é um versejar onde pulsa a emoção e um grande amor
É um filho amoroso declarando em soberbos versos o teu imenso e grandioso amor
Emocionante Luís!!!
Beijos e um sorriso

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Lindas e sentidas palavras, infelizmente o meu pai já partiu.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Vera Lúcia disse...


Olá Luís,

Emocionei-me.
Não pude deixar de recordar dos últimos momentos dos meus pais. Muito triste.
Se iminente, que a partida de seu pai ocorra na forma suplicada: "Num voo súbito e rápido
Sem dor/Sem sofrimento." E que não lhe faltem forças quando o triste acontecimento vier a ocorrer.

Abraço

CÉU disse...

Um texto, uma mensagem, uma alma aberta mostrando tudo o que sente pelo seu amado pai.
Não sei se foi o aniversário dele, ou apenas uma vontade de exprimir o que sente. Seja o que for, é amor.
Dias de luz e paz, Luís!
Abraço para ambos.

ॐ Shirley ॐ disse...

Bom seria se todos pudessem expressar, tão belas palavras de reconhecimento e de amor aos pais...
Emocionante, Luis.
Beijos!

MARILENE disse...

Há muito amor e muita generosidade nos seus versos, capazes de atenuar a dor de uma despedida não desejada e por vezes anunciada. Muito bela sua declaração de afeto. Abraço.

Pérola disse...

Um amor incondicional daqueles que fazem arrepiar.

Beijinhos

GarçaReal disse...


Melhor que ninguém te entendo. Meu pai partiu há 3 semanas após 2 anos em que corri diariamente para estar junto a ele e lhe lhe dar todo o apoio possível.Partiu sem sofrimento e com suas mãos envelhecidas no meu das minhas. Da sua muito querida filha como ele dizia. Foram momentos muito difíceis.

Força, fé e paz na alma é o que necessitamos e te desejo

Bom domingo

Bjgrande do Lago

Vera Lúcia disse...


Olá Luís,

Tudo bem com você? E o seu pai, como está? Estou preocupada com o seu silêncio. Espero que tudo esteja sob controle por aí.

Abraço.

Graça Pires disse...

Gostei deste poema-homenagem ao pai. Sensível, o poema.
Beijo.

blueshell disse...

Admirável e terno. As lágrimas vieram-me aos olhos.

Estou em
blueshell.azurara.net

Gaby Soncini disse...

Um poema muito lindo, uma bela homenagem.

Abraços!

GarçaReal disse...

Olá Luis

Não podia deixar de te dar os meus sentimentos nesta hora de profunda dor.

Foi o fim da caminhada terrena de alguém que muito amavas. Acompanho-te na tua dor. Como sabes também eu perdi meu pai.

Obrigada pelas tuas palavras de apoio.

Muita paz e luz para ti. Força para suplantar estes terríveis momentos.

Bjgrande do Lago

Vera Lúcia disse...


Olá Luís,

Sinto muito.
Que Deus ampare você e familiares neste momento de profunda dor.
Seu pai, agora, está num mundo melhor, em paz, e em meio a muita luz.
Também me recolhi quando perdi a minha mãe (em julho do ano passado). Em momentos assim, de dolorosa perda, precisamos de um tempo para viver a dor e recuperar o ânimo e o equilíbrio.
Fique bem e volte quando se sentir pronto.

Meu carinho.

ONG ALERTA disse...

Lindo, tudo só seu tempo. Beijo Lisette

blueshell disse...

Compreendo perfeitamente e agradeço ainda mais a visita.
Meu pai faleceu em 2005...e a dor,essa, permanece.

Lilazdavioleta disse...

Bom dia Luís .
Venho deixar um sentido abraço .
Já conheço essa dôr .
Maria

MARILENE disse...

Desejo que esteja bem, recebendo de Deus o conforto que essa época pede. As perdas são muito dolorosas e não há palavras que se possa dizer aos familiares, capazes de lhes dar o consolo que gostaríamos de oferecer. Por isso, pedimos que tenham a ajuda divina. Abraço.

Ana Freire disse...

Belíssimas e tocantes palavras, Luís!
Plenas de emoção e sentimento...
Também já passei por essa despedida, faz tempo... tinha 12 anos, na altura.
Infelizmente, o meu pai não partiu sem dor, nem sofrimento... a doença não deixou.
Voltando por aqui, depois de uma pausa forçada, por estes dias... motivada por uma avaria no meu computador.
Deixo um abraço... lamentando profundamente, a sua perda... pelo que me apercebi, de alguns comentários anteriores.
Coragem! E fique bem logo... no fundo, é isso que os pais sempre querem para nós... que estejamos bem!
Há que lhes fazer a vontade... pois de alguma forma... acredito que estarão sempre a olhar por nós... de algum lugar...
Ana

CÉU disse...

Olá, Luís!
Não entendi, pelo seu texto, que o seu pai tinha já partido.
Escreveu-o com uma imensa dor no coração, mas parecia que estava ainda a vislumbrar a partida, sentindo assim necessidade de expressar o que lhe ia na alma.
As minhas desculpas!
Abraço solidário.